Portal Oficial - Instituto Nacional de Estatística
      
 

Informação já disponível para abril revela uma forte contração da atividade económica
Síntese Económica de Conjuntura
Informação já disponível para abril revela uma forte contração da atividade económica - Abril de 2020
20 de maio de 2020

Resumo

Na Área Euro (AE), o PIB em termos reais registou uma variação homóloga de -3,2% no 1º trimestre de 2020 (aumento de 1,0% no trimestre anterior), traduzindo a diminuição mais intensa verificada desde o 3º trimestre de 2009. Em Portugal, o PIB registou uma redução homóloga de 2,4% em volume no 1º trimestre, após o crescimento de 2,2% no trimestre anterior. O contributo da procura externa líquida para a variação homóloga do PIB foi negativo no 1º trimestre (-1,4 pontos percentuais), após ter sido positivo no trimestre anterior, em resultado da diminuição mais intensa das Exportações de Bens e Serviços que das Importações de Bens e Serviços. A procura interna registou um contributo negativo (-1,0 pontos percentuais), pela primeira vez desde o 3º trimestre de 2013, verificando-se uma diminuição do Consumo privado e do Investimento.
Não considerando médias móveis de três meses (ver secção seguinte), a informação já disponível revela uma forte contração da atividade económica em abril, agravando-se face ao observado em março. O indicador de confiança dos Consumidores atingiu o valor mínimo desde maio de 2013 e o indicador de clima económico apresentado a redução mais acentuada da série e atingindo o valor mínimo. Todos os indicadores de confiança setoriais diminuíram de forma abrupta face ao mês anterior, principalmente no caso dos Serviços, destacando-se as secções de “Atividades artísticas, de espetáculo, desportivas e recreativas” e de “Alojamento, restauração e similares”. A informação quantitativa já disponível para abril revela que o montante global de levantamentos nacionais, de pagamentos de serviços e de compras em terminais de pagamento automático na rede multibanco apresentou a diminuição mais intensa da série em abril (-38,6%), após ter caído 17,0% no mês anterior. As vendas de veículos automóveis diminuíram fortemente em abril, observando-se taxas de -87,0% nos automóveis ligeiros de passageiros, -69,9% nos comerciais ligeiros e -72,7% nos veículos pesados.
De acordo com o Inquérito Rápido e Excecional às Empresas (COVID-IREE), promovido pelo INE e Banco de Portugal, os resultados apurados partir das respostas válidas obtidas até ao final do dia 15 de maio indicaram que a proporção de empresas em funcionamento na primeira quinzena de maio aumentou para 90%, face a 84% na quinzena anterior, salientando-se o setor do Comércio, onde a percentagem aumentou de 84% para 92%. Face à situação que seria expectável sem pandemia, 77% das empresas continuaram a reportar um impacto negativo no volume de negócios.
No 1º trimestre de 2020, a taxa de desemprego fixou-se em 6,7%, valor idêntico ao do trimestre anterior e 0,1 pontos percentuais abaixo da verificada no período homólogo de 2019. A taxa de subutilização do trabalho situou-se em 12,9%, mais 0,4 p.p. que no trimestre precedente e menos 0,7 p.p. que no trimestre anterior. O emprego total apresentou uma diminuição homóloga de 0,3% (variação de 0,5% no 4º trimestre) e uma diminuição de 0,9% relativamente ao trimestre anterior. O número de horas efetivamente trabalhadas no 1º trimestre de 2020 diminuiu 5,2% face ao trimestre anterior e 5,3% em termos homólogos.
A variação homóloga mensal do Índice de Preços no Consumidor (IPC) fixou-se em -0,2% em abril (variação nula em março), observando-se uma taxa de variação de -1,2% na componente de bens (-0,5% no mês anterior) e de 1,2% na de serviços (0,9% no mês precedente).


Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE irá procurar manter o calendário de produção e divulgação, embora seja natural alguma perturbação associada ao impacto da pandemia na obtenção de informação primária. Por esse motivo apelamos à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE, utilizando a Internet e o telefone como canais alternativos aos contatos presenciais. Na verdade a qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia Covid19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.


Destaque
Download do documento PDF (846 Kb)
Quadros
Excel Excel (114 Kb)
CSV CSV (3 Kb)